Tag Archives: polônia

Ceia de Natal à Polonesa no Brasil

24 dez

Uma das mais belas tradições de Natal polonês, dificilmente encontrado nesta forma em outros países, é a ceia de Natal.

Dita o costume, que seja iniciada com o aparecimento da primeira estrela no céu. É uma lembrança da estrela de Belém, que, segundo as Escrituras iria aparecer na gruta da Natividade do Senhor.

A véspera de Natal começa com um belo ritual de quebrar as hóstias de natal (opłatek), um pão branco, suave e fino como neblina, assado especialmente para esta ocasião, de farinha de trigo e água.

 

opłatek que eu e meu irmão fomos buscar na Capelania Polonesa no Bom Retiro em SP Domingo Passado

 

Durante a divisão da hóstia, todos os membros da família se desejam mutuamente festas com saúde, felizes e pacíficas. Esta é a continuação do antigo costume no qual as pessoas compartilharam o pão como um sinal de fraternidade, reconciliação, amor, amizade e paz.

O rito da partilha da hóstia teve lugar na Polônia, no século XVIII, primeiro entre a nobreza, e então rapidamente se espalhou por toda a população nas cidades e aldeias.

Em toda a Polônia, acreditava-se que o pão santo, o pão dos anjos, pode ser compartilhado com as almas de seus entes queridos já falecidos. A reminiscência dessa crença é o costume, preservado até hoje em muitos lares: à mesa de Natal é deixado um lugar vazio (para um viajante ou uma visita inesperada, que também pode ser um ente invisível do além), e em cima da mesa coloca-se um prato extra.

Em algumas aldeias continua a existir o hábito de dividir a hóstia e os restos de pratos de Natal com o gado e outros animais de estimação (incluindo as aves domésticas e cães), na crença de que a alegria do Natal deve ser alcançada por todo o mundo, como pessoas próximas e os animais fiéis a elas. Segundo a lenda, bem conhecida na Polônia, na noite da véspera de Natal, uma vez por ano, os animais falam com a voz humana. (Sempre amei essa parte, mas imagina a DANA que já não para de miar falando! risos)

A ceia da véspera de Natal, à qual sentamo-nos após a divisão da hóstia, é composta, segundo a tradição polonesa, por pratos quaresmais, cuja quantidade e tipo descrevem os costumes regionais e da casa. Em algumas casas serve-se uma ceia de Natal composta por 12 pratos, porque são tantos os meses do ano, ou mais, e de acordo com outra interpretação, porque foram tantos os apóstolos. Em outras, prepara-se um número ímpar de pratos: 5, 7 ou mesmo 11 No entanto, raramente se quantifica com exatidão os pratos da ceia de Natal. Quanto mais numerosos sobre a mesa, maior a riqueza terá a casa no ano seguinte.

Entre os pratos mais antigos, comidos na Polônia, especialmente nas regiões orientais do país, são a kutia, feita com sementes de papoula e trigo ou cevada, misturados com mel. Nas variantes mais modernas da kutia tradicional a mistura é enriquecida com uvas passas, amêndoas, nozes e pedaços de laranja. Um prato bem antigo é a geléia de aveia ou sopa de aveia ou de sementes de linho. Na ceia de Natal deveriam estar presentes também sobre a mesa batatas, pratos com repolho, ervilhas, cogumelos bem como compota de frutas secas.

A ceia de Natal atual, com jejum tradicional, é muito abundante e variada. É um pouco diferente em cada casa, dependendo da tradição da família o gosto culinário de seus membros. Na mesa tradicional de Natal polonês certamente não pode faltar a sopa de cogumelos bem como a sopa de beterraba vermelha com capeletis (recheados com cogumelos e repolho). Deve haver sempre alguns pratos com ervilhas, cevadinha, repolho azedo, cogumelos e frutas secas. Nos menus de Natal, ocupam um lugar especial, o peixe frito, principalmente peixes de água doce (geralmente carpa, lúcio ou vara) e arenques, preparados de muitas maneiras diferentes.

Iguarias tradicionais polonesas também são bolos de Natal e sobremesas. Em primeiro lugar entre estes se encontra o rocambole de papoula. Igualmente famoso é o pão de mel natalino com adição de especiarias aromáticas como o gengibre, canela, cravo e cardamomo. Uma especialidade de Natal também é um bolo tradicional de queijo, preparado de muitas formas diferentes, bem como bolos de nozes e biscoitos.

O velho costume dita que se deve saborear cada prato de Natal, mesmo aquele que não é muito apreciado. De acordo com antigas crenças e tradições, mostrava-se, desta forma, o respeitar aos frutos da terra e os pratos preparados a partir deles. Este comportamento assegurava dispensas com estoques completos e protegia contra a fome. Era dito também que a pessoa que não experimentar qualquer um dos pratos da ceia de Natal no ano seguinte terá algum benefício ou prazer.

 

Nossa árvore esse ano

 

J Such – Texto apoiado no livro de B. Ogrodowska. Polskie obrzędy i zwyczaje’. Editora Sport i Turystyka. Muza S.A. rok

%d blogueiros gostam disto: