Tag Archives: poesia

COMO SER SÓ por Tanya Davis

21 ago

Algumas vezes, coisas caem do céu em nosso, ou vem através de uma amigo… mensagens que se encaixam perfeitamente nos momentos que estamos vivendo…  como providência divina, magia ou o que quer que você acredite.

Com esse vídeo foi assim…. ele surgiu na minha vida… para me abrir os olhos para algo que sempre tive medo

ESTAR COMIGO MESMA!

(Como o vídeo está em inglês, tomei a liberdade de traduzir seu poema para o Português -abaixo)

 

 COMO SER SÓ por Tanya Davis

Se você está sozinho pela primeira vez, seja paciente. Se você nunca esteve sozinho por muito tempo, ou se quando estava, você não estava bem consigo próprio, então é só esperar. Você vai descobrir que é bom para estar sozinho quando você abraçar a idéia.

Podemos começar com lugares aceitáveis, o banheiro, o café, a biblioteca. Onde você pode parar e ler o jornal, onde você pode obter a sua dose de cafeína e sentar-se e simplesmente ficar lá. Onde você pode procurar em pilhas e cheirar livros. Você não precisa falar muito de qualquer maneira, por isso são lugares seguros.

Há também a academia. Se você é tímido você pode fazer companhia a você mesmo no espelho, você pode colocar fones de ouvido.

E não há o transporte público, porque todos nós temos que ir à lugares.

E há oração e meditação. Ninguém vai te menosprezar se você está se ocupando de sua respiração, buscando paz e salvação.

Comece simples. Faça coisas que você pode ter evitado fazer sozinho anteriormente.

O balcão de almoço. Onde você vai estar rodeado por pessoas simplesmente comendo. Funcionários que têm apenas uma hora e seus cônjuges trabalham em outro lugar da cidade e por isso – como você – vão estar sozinhos.

Resista à tentação de se distrair com seu telefone celular.

Quando você estiver confortável em almoçar correndo, leve-se para jantar. Um restaurante com toalha de mesa e talheres. Você não é uma pessoa menos intrigante quando você está comendo sobremesa sozinho e limpa o creme do prato com o dedo. Na verdade, algumas pessoas em mesas cheias gostariam de estar em seu lugar.

Vá ao cinema. Onde é escuro e calmo. Sozinho em seu lugar no meio de uma comunidade fugaz.

E, em seguida, convide-se para dançar em um clube onde ninguém te conhece. Fique do lado de fora da pista até as luzes e a música convencê-lo a querer mais e mais. Dance como se ninguém o observasse … porque, eles provavelmente não o estão. E, se eles estiverem, presuma que é com a melhor das intenções humanas. A forma como os corpos se movem ao som dos ritmos genuinamente é, afinal, linda e comovente. Dance até que você esteja suando, e as gotas de suor lembrem-no das melhores coisas da vida,  e voltem como um riacho de bênçãos.

Vá para a floresta sozinho, e as árvores e os esquilos vão cuidar de você.

Vá para uma cidade desconhecida, percorra as ruas, sempre há estátuas para conversar e bancos feitos para sentar-se dando a estranhos uma existência compartilhada por um minuto, e esses momentos podem ser tão edificantes e as conversas que você começará sentado sozinho no banco nunca poderia ter acontecido se você não tivesse estado lá sozinho.

A sociedade tem medo da solidão, como corações solitários se desperdiçando nos porões, como pensar que pessoas devem ter problemas se, depois de um tempo, ninguém está namorando elas. Mas a solidão é uma liberdade de respiração fácil e leve, e solidão pode curar, se você deixar.

Você pode ficar envolto por grupos e multidões ou de mãos dadas com o seu parceiro, olhando à frente na busca incessante por companhia. Mas ninguém está em sua cabeça e no momento em que você traduzir seus pensamentos, alguma essência deles serão perdidas ou talvez sejam apenas deixadas pra trás.

Talvez no interesse de amar a si mesmo, talvez todos esses slogans bobos da pré-escola até o colégio eram símbolos para segurar o solitário escondido. Porque se você está feliz em sua cabeça, então, a solidão é abençoada e estar sozinho, é ok.

Tudo bem se ninguém acredita nisso da mesma forma que você. Toda  experiência é única, ninguém tem as mesmas sinapses, não podem pensar como você, para que ocorra esse alivio, mantenha as coisas interessantes e mágicas da vida à seu alcance.

E isso não significa que você não está conectado, que a comunidade não está presente, basta ter a perspectiva que você está começando a ser uma pessoa em sua cabeça e sentir os efeitos da mesma. Tomar o silêncio e respeitá-lo. Se você tem uma arte que precisa de uma prática, pare de negligenciá-la. Se sua família não te entende, ou a religião não é para você, não fique obcecado com isso.

Você poderia estar cercado em um instante, se quisesse

Se o seu coração está sangrando, faça o melhor que pode

Há calor no frio, seja uma prova disso.

Citação minha em livro de Brendan Myers

23 jan

A internet opera verdadeiros milagres quando falamos de distância.

Existem pessoas que admiramos muito, pelo trabalho e estudos que desenvolvem, e quando vemos, eles estão em nossa lista de contato de facebook, twitter, ou outro mecanismo de rede social qualquer. E a partir daí, se todos os lados possuem boas idéias e papos saudáveis, sempre há muito o que compartilhar.

Em 2009, publiquei eu meu outro blog Hectic Attic , um texto sobre o que eu penso das Saudades, e uma poesia do mesmo nome.

Ao mesmo tempo, lá no Canada, Brendan Myers, Professor Doutor em Filosofia e amigo Druida, que conheci atraves da OBOD, estava escrevendo um livro entitulado: Loneliness and Revelation – A Study of the Sacred (Solidão e Revelção – Um Estudo do Sagrado).

Brendan tendo lido meu texto, pediu para citá-lo em seu livro. O que me encantou muito!
A citação está nas páginas 26 e 27, mas eu recomendo o livro todo, é claro, assim, como outros livros por ele escritos.

O livro ainda não possui versão em Portugugês, mas já pode ser comprado em inglês no Brasil na Livraria Cultura, clique aqui

 

.

Espero que gostem.

Aline Martins

 

Planos para 2011… me ajudem ;)

28 set

Está cedo para fazer plano para 2011?
As vezes acho que sim, outras, acho que não… *risos*

Financeiramente, não está cedo, pois se vou fazer tudo que quero fazer, tenho que me organizar muito bem.

1) O primeiro plano é o Reveillon que já está comprado! Vamos para Buenos Aires, eu e meu irmão 😉

Buenos Aires

(um dos pontos obrigatórios é a Livraria El Atheneo… pelo visto vou ter que praticar meu Espanglish 😉

2) O segundo plano é que quero passar meu aniversário (julho/ inverno), na estação de esqui em Pucón no Chile. (vou carregar meu irmão junto) .. se alguém quiser ir, vai se programando e vamos fazer bagunça lá!

3) E o Terceiro, que ainda preciso me decidir… (e rápido)

Faço ou não faço?


Sou apaixonada pela literatura Inglesa (nenhuma novidade né?) e estou morrendo de vontade (e um pouco de medo) de me inscrever no curso à distância da Universidade de Oxford sobre Jane Austen (e depois quem sabe Irmãs Brönte e Shakespeare).
Minha primeira dúvida é se vou dar conta da quantidade de leitura (apesar que ja li todos os livros, só terei que reler) e dos trabalho escritos mensais. (assim como a monografia ao final). E o valor de 285 libras esterlinas (775 reais) que tem que ser pago à vista!

O que eu faço? sei que é minha paixão, mas tenho tanta dúvida!

Beijocas

Aline

Final de Semana Chuvoso com John Keats

26 set

Quem dera fosse o poeta ao meu lado, mas não posso esperar que um poeta Inglês do século 19, que faleceu em seus 25 anos, apareça por aqui! Portanto, VIVA o CINEMA!

Bright Star - O Brilho de uma Paixão

Eu já conhecia as obras de J. Keats por conta da faculdade, mas sabe aquele filme, que conta a história de alguém famoso, que quando você termina de assistir, você esta apaixonado pela obra e pela forma como o personagem principal foi retatado? esse foi mais um desses filmes. Lembre de te-lo assistido em julho, no Cine Bombril, numa daquelas sessões as 2 da tarde de uma terça feira, onde só tinha eu, e mais 3 outras professoras de literatura inglesa…risos… pois é, o filme ainda rendeu um café depois dele, com direito e discutir as obras do autor. Tudo isso sem querer.

Não satisfeita em me apaixonar uma vez, comprei  DVD e assisti sábado a noite com minha mãe. Sei que nós somos suspeitas, pois amamos as adaptações de Razão e Sensibilidade, Orgulho e Preconceito e outros livros/filmes do tipo. Se você gosta também, e é uma romantica incurável, vale a pena assistir!

"Confesso que não acho seus poemas fáceis", diz ela. "Um poema deve ser compreendido pelos sentidos", explica ele.

Sinopse:

Londres, 1818. O jovem poeta John Keats é vizinho de Fanny Brawne, estudante de moda de opiniões fortes. Seus mundos não poderiam ser mais distintos. Quando o irmão de John adoece, no entanto, Fanny oferece seus cuidados. Encantado, John se aproxima da moça e se oferece para ensiná-la poesia. Os dois terminam se apaixonando, e no momento em que a mãe de Fanny e o melhor amigo de John descobrem o caso, já é tarde demais para tentarem desaconselhá-los. O casal mergulha num romance obsessivo, no qual a paixão é tão forte quanto as turbulências. Baseado em fatos reais.

O Nome Original de filme: Bright Star, é o nome da poesia que Keats faz para sua amada Fanny.

Mas a poesia dele que mais gosto é

La Belle Dame Sans Merci de Sir Frank Dicksee

La Belle Dame sans Merci
A Bela Dama sem Piedade

Oh! O que te pode estar a perturbar, Cavaleiro em armas,
Sozinho, pálido e vagarosamente passando?
As sebes têm secado às margens do lago,
E nenhum pássaro canta.

Oh! O que pode te pode estar a perturbar, Cavaleiro em armas?
Tua face mostra sofrimento e dor.
A toca do esquilo está farta,
E a colheita está feita.

Eu vejo uma flor em tua fronte,
Húmida de angústia e de febril orvalho,
E em tua face uma rosa sem brilho e frescor
Rapidamente se vai desvanecendo.

Eu encontrei uma dama nos campos,
Tão linda… uma jovem fada,
Seu cabelo era longo e seus passos tão leves,
E selvagens eram seus olhos.

Eu fiz uma grinalda para sua cabeça,
E braceletes também, e perfumes em volta;
Ela olhou para mim como se amasse,
E suspirou docemente.

Eu a coloquei sobre meu cavalo e segui,
E nada mais vi durante todo o dia,
Pelos caminhos ela me abraçou, e cantava
Uma canção de fadas.

Ela encontrou para mim raízes de doce alívio,
mel selvagem e orvalho da manhã,
E numa estranha linguagem ela disse…
“Verdadeiramente eu amo-te.”

Ela me levou para a sua caverna de fada,
E lá ela chorou e soluçou dolorosamente,
E lá eu fechei seus selvagens olhos
Com quatro beijos.

Ela cantou docemente para que eu dormisse
E lá eu sonhei…Ah! tão sofridamente!
O último dos sonhos que eu sempre sonhei
Nesta fria borda da colina.

Eu vi pálidos reis e também príncipes,
Pálidos guerreiros, de uma mortal palidez todos eles eram;
Eles gritaram…”A Bela Dama sem Piedade
Fez de ti seu escravo!”

Eu vi seus lábios famintos e sombrios,
Abertos em horríveis avisos,
E eu acordei e me encontrei aqui,
Nesta fria borda da colina.

E este é o motivo pelo qual permaneço aqui Sozinho e vagarosamente passando,
Descuidadamente através das sebes às margens do lago,
E nenhum pássaro canta.

( John Keats 1795 _ 1821 )

%d blogueiros gostam disto: