Tag Archives: bem estar
29 out

Queria tratar de um assunto bem sensível para muitos, e que me afeta.

Síndrome do Pânico ou Transtorno do pânico

A síndrome do pânico é um tipo de transtorno de ansiedade onde ocorrem ataques repetidos de medo intenso de que algo ruim aconteça de forma inesperada.

Quem tem síndrome do pânico sofre durante as crises e SOFRE AINDA MAIS nos intervalos entre uma e outra, pois não faz a menor ideia de quando elas ocorrerão novamente. Isso traz tamanha insegurança que a qualidade de vida fica seriamente comprometida.

ataque-panico

Curiosidades:

  • O que ninguém sabe é que 1 em cada 3 pessoas com as quais você cruza na rua, tem, já tiveram ou terão essa sindrome um dia.
  • A sindrome afeta duas vezes mais mulheres do que homens entre 18 e 35 anos.
  • Quando não tratada leva a desenvolver fobias podendo tornar a pessoa reclusa.
  • Após passar por muitas crises, a pessoa pode não ter mais os sintomas físicos típicos, mas ainda sente medos por ela própria classificados como “inexplicáveis”.

Mas não estou aqui para falar de diagnóstico e tratamento, isso só seu medico ou terapeuta vai poder fazer por você.

O que quero, é ajudar nossos amigos a saber “como NOS ajudar”. Pois, o que mais percebo, é que as pessoas que estão mais próximas muitas vezes na tentativa de ajudar, acabam errando, e isso entristece tanto o paciente, quando o amigo, que com o tempo acaba de afastando.

10 dicas do que DIZER e NÃO DIZER nessas situações:

Estou Aqui para você

O que dizer: Você não está sozinho nessa.

O que NÃO dizer: Há sempre alguém pior do que você. (Para o afetado, sua dor é sempre a maior do mundo, pois é a dor que somente ELE sente)

Você é importante

O que dizer: Você é importante para mim.

O que NÃO dizer: Ninguém nunca disse que a vida era justa.

Deixe-me ajudar 

O que dizer: Precisa de algo? (Precisa de um abraço? Precisa conversar? ….muitas vezes o afetado não quer soluções, ele só quer ser ouvido)

O que NÃO dizer: Pare de sentir pena de si mesmo.

O Pânico e Depressão é real

O que dizer: Isso é normal, vai passar, você não está enlouquecendo.

O que NÃO dizer: Então você está deprimido. Mas, você não é sempre assim.

Você pode superar

O que dizer: Quando tudo isso acabar, eu ainda vou estar aqui e você também.

O que NÃO dizer: Isso é coisa da sua cabeça, você que cria isso. (Isso só aumenta a culpa que a pessoa sente)

Vou fazer o meu melhor para te entender

O que dizer: Eu realmente não consigo entender o que você está sentindo, mas posso oferecer minha ajuda, atenção e carinho.

O que NÃO dizer: Acredite em mim, eu sei como você se sente. Eu já passei por isso. (Por mais valida que sua experiência seja, ela nunca será considerada a mesma, só use esse argumento se a pessoa pedir que você conte como foi para você, pois na maioria das vezes sua dor poder fazer parecer que a dele é menor).

Você não vai me afastar

O que dizer: Eu não vou deixá-lo ou abandoná-lo.

O que NÃO dizer: Eu acho que a sua sindorme/depressão/pânico é uma forma de se/nos castigar.

Me preocupo com você

O que dizer: Você é muito importante para mim. (Diga isso somente for a verdade.)

O que NÃO dizer: Você não cansou dessa coisa egoista de “eu, eu, eu” ainda?

Nós vamos passar por isso juntos

O que dizer: Lamento que você está com muita dor. Eu não vou te deixar sozinho. Você não precisa se preocupar se sua dor pode me machucar.

O que NÃO dizer: Já experimentou o chá de camomila? (ou outros tratamentos e soluções…  sua amizade é o melhor tratamento que você pode oferecer).

Outro fato curioso: Pessoas em depressão ou com sindrome de pânico tem muita tendência a terem crises em horários especificos. Os horários mais comuns são pela manhã (por conta de termos todo um dia pela frente), e entre 16 e 18 horas. A melhor ajuda que recebi até hoje foi quando uma amiga me perguntou, qual o horário mais dificil do dia para você? Quer que eu te ligue nesses horários?  ….o que prova que… a ajuda pode ser algo muito, MUITO simples!

Anúncios

Síndrome Do Pânico, como ajudar?

29 out

Queria tratar de um assunto bem sensível para muitos, e que me afeta.

Síndrome do Pânico ou Transtorno do pânico

A síndrome do pânico é um tipo de transtorno de ansiedade onde ocorrem ataques repetidos de medo intenso de que algo ruim aconteça de forma inesperada.

Quem tem síndrome do pânico sofre durante as crises e SOFRE AINDA MAIS nos intervalos entre uma e outra, pois não faz a menor ideia de quando elas ocorrerão novamente. Isso traz tamanha insegurança que a qualidade de vida fica seriamente comprometida.

ataque-panico

Curiosidades:

  • O que ninguém sabe é que 1 em cada 3 pessoas com as quais você cruza na rua, tem, já tiveram ou terão essa sindrome um dia.
  • A sindrome afeta duas vezes mais mulheres do que homens entre 18 e 35 anos.
  • Quando não tratada leva a desenvolver fobias podendo tornar a pessoa reclusa.
  • Após passar por muitas crises, a pessoa pode não ter mais os sintomas físicos típicos, mas ainda sente medos por ela própria classificados como “inexplicáveis”.

Mas não estou aqui para falar de diagnóstico e tratamento, isso só seu medico ou terapeuta vai poder fazer por você.

O que quero, é ajudar nossos amigos a saber “como NOS ajudar”. Pois, o que mais percebo, é que as pessoas que estão mais próximas muitas vezes na tentativa de ajudar, acabam errando, e isso entristece tanto o paciente, quando o amigo, que com o tempo acaba se afastando.

10 dicas do que DIZER e NÃO DIZER nessas situações:

Estou Aqui para você

O que dizer: Você não está sozinho nessa.

O que NÃO dizer: Há sempre alguém pior do que você. (Para o afetado, sua dor é sempre a maior do mundo, pois é a dor que somente ELE sente)

Você é importante

O que dizer: Você é importante para mim.

O que NÃO dizer: Ninguém nunca disse que a vida era justa.

Deixe-me ajudar 

O que dizer: Precisa de algo? (Precisa de um abraço? Precisa conversar? ….muitas vezes o afetado não quer soluções, ele só quer ser ouvido)

O que NÃO dizer: Pare de sentir pena de si mesmo.

O Pânico e Depressão é real

O que dizer: Isso é normal, vai passar, você não está enlouquecendo.

O que NÃO dizer: Então você está deprimido. Mas, você não é sempre assim?

Você pode superar

O que dizer: Quando tudo isso acabar, eu ainda vou estar aqui e você também.

O que NÃO dizer: Isso é coisa da sua cabeça, você que cria isso. (Isso só aumente a culpa que a pessoa sente)

Vou fazer o meu melhor para te entender

O que dizer: Eu realmente não consigo entender o que você está sentindo, mas posso oferecer minha ajuda, atenção e carinho.

O que NÃO dizer: Acredite em mim, eu sei como você se sente. Eu já passei por isso. (Por mais válida que sua experiência seja, ela nunca será considerada a mesma, só use esse argumento se a pessoa pedir que você conte como foi para você, pois na maioria a sua experiência pode fazer parecer com que você esteja menosprezando a dor dele).

Você não vai me afastar

O que dizer: Eu não vou deixá-lo ou abandoná-lo.

O que NÃO dizer: Eu acho que a sua sindorme/depressão/pânico é uma forma de se/nos castigar.

Me preocupo com você

O que dizer: Você é muito importante para mim. (Diga isso somente for a verdade.)

O que NÃO dizer: Você não cansou dessa coisa egoista de “eu, eu, eu” ainda?

Nós vamos passar por isso juntos

O que dizer: Lamento você estar com muita dor. Eu não vou te deixar sozinho. Você não precisa se preocupar se sua dor pode me machucar.

O que NÃO dizer: Já experimentou o chá de camomila? (ou outros tratamentos e soluções…  sua amizade é o melhor tratamento que você pode oferecer).

Outro fato curioso: Pessoas em depressão ou com síndrome de pânico tem muita tendência a terem crises em horários específicos do dia. Os horários mais comuns são pela manhã (por conta de termos todo um dia pela frente), e entre 16 e 18 horas. A melhor ajuda que recebi até hoje foi quando uma amiga me perguntou, qual o horário mais dificil do dia para você? Quer que eu te ligue nesses horários?  ….o que prova que… a ajuda pode ser algo muito, MUITO simples!

Você se lembra da minha voz?

24 out

…mas os meus cabelos…..

*Risos*

quem me conhece sabe que sou a maior camaleão …

No momento, estou assim:

Preto

Mas estou pensando em mudar de novo… então, vamos dar uma voltinha no passado, e depois vocês me dizem o que vocês acham mais legal ok?

Ruivo

 

Louro

Chocolate

O que vocês me dizem? 😉 Qual preferem?

Mantenho curto ou deixo crescer?

Longo

 

beijos
Aline Martins

 

 

É dia de biscoito! Snickerdoodles…

3 out

Domingo, dia de eleição no Brasil…

Meu irmão meio desconcertado pois teve que trabalhar na eleição (e você sabe né, em nossa democracia, se ele não for, vai preso!, pois é!)

Resolvi que era dia de Cookies! Snickerdoodles são muito tradicionais nos Estados Unidos e Inglaterra e são super fáceis de fazer, as crianças podem até ajudar 🙂

Mesmo amando os cookies de chocolate à moda antiga, eu tenho que dizer, snickerdoodles são os meus cookies favoritos. Eles são sutis, simples, e eu acho que muitas vezes esquecido. Mas para mim são perfeitos, provavelmente porque eles são repletos de açúcar e manteiga. Mmmmmmm.

Eles são super fáceis de fazer, e ainda mais fácil para comer. *risos*


Snickerdoodles


Ingredientes:
190g de farinha de trigo
150g de açúcar
110g de manteiga, amolecida
1 ovo
½ colher (chá) de fermento em pó
½ colher (chá) de baunilha
¼ colher (chá) de sal

Misturinha de canela: 2 colheres (sopa) de açúcar e 1 colher (chá) de canela em pó

Modo de preparo:
Misture todos os ingredientes da massa em uma tigela grande, batendo-os  até obter uma mistura homogênea.
Feito isso, misture a canela e o açúcar numa tigelinha.
Faça bolinhas de massa (as minhas tinham medida equivalente a ½ colher de sopa) e passe-as pela mistura de açúcar com canela.

Disponha-as em assadeira forrada com papel manteiga, deixando espaços de 5 cm entre cada uma delas.(Elas espandem bastante, é aconselhavel deixar bastante espaço entre elas)

Asse por 8 a 10 minutos em forno a 205°C ou até que as beiradas estejam douradas. Deixe esfriar na assadeira antes de transferir para a grade de resfriamento.

Aproveitem! 😉

Beijos açucarados!

Aline

Pés, Plástico e Massagem

15 set

Eu sei, eu sei, não é a coisa mais ecológica da face da terra.

Mas, cheiram bem, são Lindas e confortáveis (pelo menos para mim são *risos*)!

Sim, Melissas. (Aquelas que levam muitos maridos e namorados à falência!)

Não sou a maior colecionadora de Melissas, mas depois de meses tendo que trabalhar de sapato social, sem poder usar tenis, foi a única solução para diminuir a dor nos meus pés e pernas após 12 horas em pé, ou mais. Ou seja, agora tenho a melhor desculpa para manter minha coleção em dia 😉

A última aquisição foi feita semana passada via internet na Loja Melissa (que estava toda em promoção). Aí está ela…

Meus pés felizes com Hoop et Circenses

Quando estava comprando, reparei, um parzinho de olhos verdes olhando  por cima do meu ombro. (minha mãe), comprei uma para ela também…


Pezinhos Felizes da Mamãe Rosália com sua Ultragirl Bambi

E meu sonho de consumo do momento… MAGIC ( nome perfeito!)

Magic - Pré Lançamento

Bom, depois de todo esse momento consumista, você toma um bom banho, pega seu creminho de massagem para Pés e Pernas Cansadas, e faz uma auto-massagem antes de dormir. Afinal, quando massageamos nossos pés, é como se estivessemos massageando o corpo todo!

Aproveitem, que essa reportagem é muito útil!

Beijokas Aline

%d blogueiros gostam disto: