Tag Archives: ajuda
29 out

Queria tratar de um assunto bem sensível para muitos, e que me afeta.

Síndrome do Pânico ou Transtorno do pânico

A síndrome do pânico é um tipo de transtorno de ansiedade onde ocorrem ataques repetidos de medo intenso de que algo ruim aconteça de forma inesperada.

Quem tem síndrome do pânico sofre durante as crises e SOFRE AINDA MAIS nos intervalos entre uma e outra, pois não faz a menor ideia de quando elas ocorrerão novamente. Isso traz tamanha insegurança que a qualidade de vida fica seriamente comprometida.

ataque-panico

Curiosidades:

  • O que ninguém sabe é que 1 em cada 3 pessoas com as quais você cruza na rua, tem, já tiveram ou terão essa sindrome um dia.
  • A sindrome afeta duas vezes mais mulheres do que homens entre 18 e 35 anos.
  • Quando não tratada leva a desenvolver fobias podendo tornar a pessoa reclusa.
  • Após passar por muitas crises, a pessoa pode não ter mais os sintomas físicos típicos, mas ainda sente medos por ela própria classificados como “inexplicáveis”.

Mas não estou aqui para falar de diagnóstico e tratamento, isso só seu medico ou terapeuta vai poder fazer por você.

O que quero, é ajudar nossos amigos a saber “como NOS ajudar”. Pois, o que mais percebo, é que as pessoas que estão mais próximas muitas vezes na tentativa de ajudar, acabam errando, e isso entristece tanto o paciente, quando o amigo, que com o tempo acaba de afastando.

10 dicas do que DIZER e NÃO DIZER nessas situações:

Estou Aqui para você

O que dizer: Você não está sozinho nessa.

O que NÃO dizer: Há sempre alguém pior do que você. (Para o afetado, sua dor é sempre a maior do mundo, pois é a dor que somente ELE sente)

Você é importante

O que dizer: Você é importante para mim.

O que NÃO dizer: Ninguém nunca disse que a vida era justa.

Deixe-me ajudar 

O que dizer: Precisa de algo? (Precisa de um abraço? Precisa conversar? ….muitas vezes o afetado não quer soluções, ele só quer ser ouvido)

O que NÃO dizer: Pare de sentir pena de si mesmo.

O Pânico e Depressão é real

O que dizer: Isso é normal, vai passar, você não está enlouquecendo.

O que NÃO dizer: Então você está deprimido. Mas, você não é sempre assim.

Você pode superar

O que dizer: Quando tudo isso acabar, eu ainda vou estar aqui e você também.

O que NÃO dizer: Isso é coisa da sua cabeça, você que cria isso. (Isso só aumenta a culpa que a pessoa sente)

Vou fazer o meu melhor para te entender

O que dizer: Eu realmente não consigo entender o que você está sentindo, mas posso oferecer minha ajuda, atenção e carinho.

O que NÃO dizer: Acredite em mim, eu sei como você se sente. Eu já passei por isso. (Por mais valida que sua experiência seja, ela nunca será considerada a mesma, só use esse argumento se a pessoa pedir que você conte como foi para você, pois na maioria das vezes sua dor poder fazer parecer que a dele é menor).

Você não vai me afastar

O que dizer: Eu não vou deixá-lo ou abandoná-lo.

O que NÃO dizer: Eu acho que a sua sindorme/depressão/pânico é uma forma de se/nos castigar.

Me preocupo com você

O que dizer: Você é muito importante para mim. (Diga isso somente for a verdade.)

O que NÃO dizer: Você não cansou dessa coisa egoista de “eu, eu, eu” ainda?

Nós vamos passar por isso juntos

O que dizer: Lamento que você está com muita dor. Eu não vou te deixar sozinho. Você não precisa se preocupar se sua dor pode me machucar.

O que NÃO dizer: Já experimentou o chá de camomila? (ou outros tratamentos e soluções…  sua amizade é o melhor tratamento que você pode oferecer).

Outro fato curioso: Pessoas em depressão ou com sindrome de pânico tem muita tendência a terem crises em horários especificos. Os horários mais comuns são pela manhã (por conta de termos todo um dia pela frente), e entre 16 e 18 horas. A melhor ajuda que recebi até hoje foi quando uma amiga me perguntou, qual o horário mais dificil do dia para você? Quer que eu te ligue nesses horários?  ….o que prova que… a ajuda pode ser algo muito, MUITO simples!

Anúncios

Síndrome Do Pânico, como ajudar?

29 out

Queria tratar de um assunto bem sensível para muitos, e que me afeta.

Síndrome do Pânico ou Transtorno do pânico

A síndrome do pânico é um tipo de transtorno de ansiedade onde ocorrem ataques repetidos de medo intenso de que algo ruim aconteça de forma inesperada.

Quem tem síndrome do pânico sofre durante as crises e SOFRE AINDA MAIS nos intervalos entre uma e outra, pois não faz a menor ideia de quando elas ocorrerão novamente. Isso traz tamanha insegurança que a qualidade de vida fica seriamente comprometida.

ataque-panico

Curiosidades:

  • O que ninguém sabe é que 1 em cada 3 pessoas com as quais você cruza na rua, tem, já tiveram ou terão essa sindrome um dia.
  • A sindrome afeta duas vezes mais mulheres do que homens entre 18 e 35 anos.
  • Quando não tratada leva a desenvolver fobias podendo tornar a pessoa reclusa.
  • Após passar por muitas crises, a pessoa pode não ter mais os sintomas físicos típicos, mas ainda sente medos por ela própria classificados como “inexplicáveis”.

Mas não estou aqui para falar de diagnóstico e tratamento, isso só seu medico ou terapeuta vai poder fazer por você.

O que quero, é ajudar nossos amigos a saber “como NOS ajudar”. Pois, o que mais percebo, é que as pessoas que estão mais próximas muitas vezes na tentativa de ajudar, acabam errando, e isso entristece tanto o paciente, quando o amigo, que com o tempo acaba se afastando.

10 dicas do que DIZER e NÃO DIZER nessas situações:

Estou Aqui para você

O que dizer: Você não está sozinho nessa.

O que NÃO dizer: Há sempre alguém pior do que você. (Para o afetado, sua dor é sempre a maior do mundo, pois é a dor que somente ELE sente)

Você é importante

O que dizer: Você é importante para mim.

O que NÃO dizer: Ninguém nunca disse que a vida era justa.

Deixe-me ajudar 

O que dizer: Precisa de algo? (Precisa de um abraço? Precisa conversar? ….muitas vezes o afetado não quer soluções, ele só quer ser ouvido)

O que NÃO dizer: Pare de sentir pena de si mesmo.

O Pânico e Depressão é real

O que dizer: Isso é normal, vai passar, você não está enlouquecendo.

O que NÃO dizer: Então você está deprimido. Mas, você não é sempre assim?

Você pode superar

O que dizer: Quando tudo isso acabar, eu ainda vou estar aqui e você também.

O que NÃO dizer: Isso é coisa da sua cabeça, você que cria isso. (Isso só aumente a culpa que a pessoa sente)

Vou fazer o meu melhor para te entender

O que dizer: Eu realmente não consigo entender o que você está sentindo, mas posso oferecer minha ajuda, atenção e carinho.

O que NÃO dizer: Acredite em mim, eu sei como você se sente. Eu já passei por isso. (Por mais válida que sua experiência seja, ela nunca será considerada a mesma, só use esse argumento se a pessoa pedir que você conte como foi para você, pois na maioria a sua experiência pode fazer parecer com que você esteja menosprezando a dor dele).

Você não vai me afastar

O que dizer: Eu não vou deixá-lo ou abandoná-lo.

O que NÃO dizer: Eu acho que a sua sindorme/depressão/pânico é uma forma de se/nos castigar.

Me preocupo com você

O que dizer: Você é muito importante para mim. (Diga isso somente for a verdade.)

O que NÃO dizer: Você não cansou dessa coisa egoista de “eu, eu, eu” ainda?

Nós vamos passar por isso juntos

O que dizer: Lamento você estar com muita dor. Eu não vou te deixar sozinho. Você não precisa se preocupar se sua dor pode me machucar.

O que NÃO dizer: Já experimentou o chá de camomila? (ou outros tratamentos e soluções…  sua amizade é o melhor tratamento que você pode oferecer).

Outro fato curioso: Pessoas em depressão ou com síndrome de pânico tem muita tendência a terem crises em horários específicos do dia. Os horários mais comuns são pela manhã (por conta de termos todo um dia pela frente), e entre 16 e 18 horas. A melhor ajuda que recebi até hoje foi quando uma amiga me perguntou, qual o horário mais dificil do dia para você? Quer que eu te ligue nesses horários?  ….o que prova que… a ajuda pode ser algo muito, MUITO simples!

%d blogueiros gostam disto: