Síndrome Do Pânico, como ajudar?

29 out

Queria tratar de um assunto bem sensível para muitos, e que me afeta.

Síndrome do Pânico ou Transtorno do pânico

A síndrome do pânico é um tipo de transtorno de ansiedade onde ocorrem ataques repetidos de medo intenso de que algo ruim aconteça de forma inesperada.

Quem tem síndrome do pânico sofre durante as crises e SOFRE AINDA MAIS nos intervalos entre uma e outra, pois não faz a menor ideia de quando elas ocorrerão novamente. Isso traz tamanha insegurança que a qualidade de vida fica seriamente comprometida.

ataque-panico

Curiosidades:

  • O que ninguém sabe é que 1 em cada 3 pessoas com as quais você cruza na rua, tem, já tiveram ou terão essa sindrome um dia.
  • A sindrome afeta duas vezes mais mulheres do que homens entre 18 e 35 anos.
  • Quando não tratada leva a desenvolver fobias podendo tornar a pessoa reclusa.
  • Após passar por muitas crises, a pessoa pode não ter mais os sintomas físicos típicos, mas ainda sente medos por ela própria classificados como “inexplicáveis”.

Mas não estou aqui para falar de diagnóstico e tratamento, isso só seu medico ou terapeuta vai poder fazer por você.

O que quero, é ajudar nossos amigos a saber “como NOS ajudar”. Pois, o que mais percebo, é que as pessoas que estão mais próximas muitas vezes na tentativa de ajudar, acabam errando, e isso entristece tanto o paciente, quando o amigo, que com o tempo acaba se afastando.

10 dicas do que DIZER e NÃO DIZER nessas situações:

Estou Aqui para você

O que dizer: Você não está sozinho nessa.

O que NÃO dizer: Há sempre alguém pior do que você. (Para o afetado, sua dor é sempre a maior do mundo, pois é a dor que somente ELE sente)

Você é importante

O que dizer: Você é importante para mim.

O que NÃO dizer: Ninguém nunca disse que a vida era justa.

Deixe-me ajudar 

O que dizer: Precisa de algo? (Precisa de um abraço? Precisa conversar? ….muitas vezes o afetado não quer soluções, ele só quer ser ouvido)

O que NÃO dizer: Pare de sentir pena de si mesmo.

O Pânico e Depressão é real

O que dizer: Isso é normal, vai passar, você não está enlouquecendo.

O que NÃO dizer: Então você está deprimido. Mas, você não é sempre assim?

Você pode superar

O que dizer: Quando tudo isso acabar, eu ainda vou estar aqui e você também.

O que NÃO dizer: Isso é coisa da sua cabeça, você que cria isso. (Isso só aumente a culpa que a pessoa sente)

Vou fazer o meu melhor para te entender

O que dizer: Eu realmente não consigo entender o que você está sentindo, mas posso oferecer minha ajuda, atenção e carinho.

O que NÃO dizer: Acredite em mim, eu sei como você se sente. Eu já passei por isso. (Por mais válida que sua experiência seja, ela nunca será considerada a mesma, só use esse argumento se a pessoa pedir que você conte como foi para você, pois na maioria a sua experiência pode fazer parecer com que você esteja menosprezando a dor dele).

Você não vai me afastar

O que dizer: Eu não vou deixá-lo ou abandoná-lo.

O que NÃO dizer: Eu acho que a sua sindorme/depressão/pânico é uma forma de se/nos castigar.

Me preocupo com você

O que dizer: Você é muito importante para mim. (Diga isso somente for a verdade.)

O que NÃO dizer: Você não cansou dessa coisa egoista de “eu, eu, eu” ainda?

Nós vamos passar por isso juntos

O que dizer: Lamento você estar com muita dor. Eu não vou te deixar sozinho. Você não precisa se preocupar se sua dor pode me machucar.

O que NÃO dizer: Já experimentou o chá de camomila? (ou outros tratamentos e soluções…  sua amizade é o melhor tratamento que você pode oferecer).

Outro fato curioso: Pessoas em depressão ou com síndrome de pânico tem muita tendência a terem crises em horários específicos do dia. Os horários mais comuns são pela manhã (por conta de termos todo um dia pela frente), e entre 16 e 18 horas. A melhor ajuda que recebi até hoje foi quando uma amiga me perguntou, qual o horário mais dificil do dia para você? Quer que eu te ligue nesses horários?  ….o que prova que… a ajuda pode ser algo muito, MUITO simples!

Anúncios

4 Respostas to “Síndrome Do Pânico, como ajudar?”

  1. Marlen 29/10/2013 às 12:13 #

    Gostei muito do que escreveu embora eu nunca ter tido um surto de panico. Talvez depressao (hereditario).
    Tem muita gente que em vez de ajudar atrapalha um pouquinho, mesmo sem saber!

    • Aline Martins 30/10/2013 às 11:04 #

      Muitas das idéias podem sim ser aplicadas à depressão, mesmo porque, muitas vezes uma coisa está ligada à outra. Fico feliz em ter ajudado! divulgue se puder.

  2. Marcia Gisele 29/10/2013 às 18:12 #

    Sempre tenho abraços de amor p vc querida Aline!!!! vai um online agora.. bem forte e bem apeeeeeeerrrrrrrtado!;))

    • Aline Martins 30/10/2013 às 11:03 #

      Obrigada…você é muito especial pra mim ❤

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: